Busca
Classificação de assuntos:

Pesquisa por palavra-chave:


Últimas Notícias
  • 16-08-2017
    Saúde Suplementar
    Veja São Paulo mostra que exclusão de cobertura lidera processos contra planos de saúde
  • 16-08-2017
    Anuidade 2018
    CFM determina anuidades e taxas dos Conselhos Regionais para o exercício 2018
  • 15-08-2017
    Representação
    Cremesp pede afastamento do Ministro da Saúde em representação protocolada na PGR
  • 15-08-2017
    Cracolândia
    Fiscalização do Cremesp aponta irregularidades em hospitais psiquiátricos
  • Notícias


    20-04-2017

    Crise na Saúde

    Estudantes da FMUSP realizam manifestação contra sucateamento do HU

     

    Os estudantes da Faculdade de Medicina da USP (FMUSP) paralisaram as atividades do Hospital Universitário (HU), na tarde desta segunda-feira (17/4), e manifestaram sua insatisfação em relação à situação precária e possível desvinculação do hospital da estrutura da universidade. Em manifesto divulgado pelo Centro Acadêmico Oswaldo Cruz (CAOC), os alunos de Medicina alertaram para os problemas de gestão da instituição, que recebe mais de 2.430 estudantes por ano, e pode ser fechada devido a “cortes orçamentários”.

    Além da paralisação, os alunos promoveram uma agenda de debates, que ocorreram ao longo do dia, abordando temas como o financiamento do SUS, a insuficiência hospitalar da região Oeste e sobrecarga do HU, além das consequências de uma possível desvinculação do hospital à Universidade. Após as palestras e mesas de debates, os estudantes de Medicina, Fisioterapia, Fonoaudiologia, Odontologia e Terapia Ocupacional saíram do HU em direção à avenida Corifeu de Azevedo Marques, em um ato público em defesa do hospital.

    “Aproximadamente 25% dos leitos de internação e 40% dos leitos de terapia intensiva não estão recebendo pacientes por falta de profissionais. Isso porque a reitoria implantou um Plano de Demissão Voluntária, no qual 213 funcionários foram desligados do HU desde 2014. Esse corte de profissionais fez com que 1/4 do hospital fosse inviabilizado. Denunciamos a situação ao Ministério Público e continuamos com a mobilização, com o apoio dos estudantes, da população e de diversas entidades da sociedade civil”, explicou Gerson Salvador, secretário de Comunicação do Sindicato dos Médicos de São Paulo (Simesp) e médico do HU.

     

    Leitos fechados

    Salvador afirmou que o hospital está passando por um de seus momentos mais graves e vem resistindo às situações precárias desde 2014. “A reitoria da USP diz que a Universidade é grande demais e que o HU, entre tantas áreas, não faz parte da missão educacional. Entretanto, esses leitos que estão fechados aqui não estão sendo abertos em nenhuma outra instituição pública do Estado, deixando a população com um enorme prejuízo na assistência. A situação é inaceitável, por isso continuamos lutando contra essa insuficiência de recursos e tentando garantir um pronto-socorro minimamente adequado para o atendimento de pacientes mais graves”, relata. 

     

    Apoios

    O ato foi promovido pelo CAOC e contou com o apoio de representações acadêmicas dos cursos de Fisioterapia, Fonoaudiologia e Terapia Ocupacional e do Diretório Central dos Estudantes (DCE) da USP, além do Simesp, do Fórum Populares de Saúde, da Associação de Docentes da USP (Adusp) e do Sindicato dos Trabalhadores da USP (Sintusp).

    Desde junho do ano passado, o Cremesp, em parceria com o Ministério Público de SP, atua na intermediação dessa crise, dialogando com os diversos agentes envolvidos. Para o presidente do Cremesp, Mauro Aranha, é fundamental que a reitoria da USP e as três esferas de governo - federal, estadual e municipal - assumam suas parcelas de responsabilidade pela crise na instituição e criem alternativas para que os habitantes da região não sejam penalizados e o ensino médico não seja comprometido. “O HU é pioneiro na integração de ações de saúde na região, com importante trabalho no atendimento secundário e visão comunitária, tendo inclusive contribuído na idealização do Sistema Único de Saúde (SUS). Essas qualidades de hospital-escola não podem ser invalidadas e abandonadas em função de equívocos anteriores de gestão no âmbito administrativo”, disse, à época, Aranha.

       

      

    Legenda (sentido horário): Faixa colocada no muro da FMUSP; Gerson Salvador, secretário de Comunicação do Simesp; estudantes protestam com cartazez;  ato público em defesa do hospital.  

    Fotos: Laura Jorge


    ESTA MATÉRIA AINDA NÃO FOI COMENTADA:

    Deixe o seu comentário

        Dê sua opinião sobre a matéria acima em até mil caracteres. Não serão publicados  textos ofensivos a pessoas ou instituições, que configurem crime, apresentem conteúdo obsceno, sejam de origem duvidosa, tenham finalidade comercial ou sugiram links, entre outros.  Os textos serão submetidos à aprovação antes da publicação, respeitando-se a jornada de trabalho da comissão de avaliação (horário de funcionamento do Cremesp, de segunda à sexta-feira, das 9 às 18 horas). O Cremesp reserva-se o direito de editar os comentários para correção ortográfica.  Os  usuários deste site estão sujeitos à política de uso do Portal do Cremesp e se comprometem a respeitar o seu Código de Conduta On-line.

    De acordo.


    Este conteúdo teve 716 acessos.


    CONSELHO REGIONAL DE MEDICINA DO ESTADO DE SÃO PAULO
    CNPJ: 63.106.843/0001-97

    Sede - Consolação: Rua da Consolação, 753
    Centro - São Paulo/SP - 01301-910

    Sede - Luís Coelho: Rua Luís Coelho, 26
    Consolação - São Paulo/SP - 01309-900

    Subsede - Vila Mariana: Rua Domingos de Moraes, 1810
    Vila Mariana – São Paulo/SP - 04010-200

    CENTRAL DE ATENDIMENTO TELEFÔNICO
    (11) 5908-5600 (de segunda a sexta feira, das 8h às 20h)

    HORÁRIO DE EXPEDIENTE PARA PROTOCOLOS
    De segunda a sexta-feira, das 9h às 18h


    ESTACIONAMENTOS : NOVOS CONVÊNIOS

    CONTATOS

    Regionais do Cremesp:

    Conselhos de Medicina:


    © 2001-2017 cremesp.org.br Todos os direitos reservados. Código de conduta online. 64 usuários on-line - 716
    Este site é melhor visualizado em Internet Explorer 8 ou superior, Firefox 40 ou superior e Chrome 46 ou superior